×
Política

Por que a Minas de Aécio deu a vitória a Dilma

aecio-derrotado

Obrigado Minas, por nada

Uma das certezas desse fim de eleição é que os ignorantes de sempre culparão os nordestinos ignorantes pela derrota de Aécio Neves e proporão um racha.

Estarão errados, mais uma vez, não apenas pelo julgamento odioso. O Nordeste escolheu Dilma maciçamente — inclusive Pernambuco, onde a viúva de Eduardo Campos declarou apoio a Aécio Neves –, mas decidiu o pleito com a ajuda inestimável dos mineiros.

Em Minas, o ex-governador perdeu por 52,4% a 47,6%. São cerca de 500 mil votos.

Para quem se jactava de ter deixado o cargo com 92% de aprovação, número nunca comprovado, e falava de seu estado com um tom de apropriação, foi uma paulada.

Aécio não apenas não elegeu o candidato de seu partido em MG como apanhou de uma conterrânea que, como ele, passou muito pouco tempo por lá.

A nacionalização de Aécio, trazida pela campanha, mostrou aos habitantes de Minas um homem que eles talvez desconfiassem que não fosse grande coisa. Mas como saber ao certo com uma imprensa totalmente vendida e uma propaganda oficial diuturna?

Durante sua gestão e a de Anastasia, não foram publicadas notícias sobre o aeroporto construído em terras do tio, sobre o nepotismo, sobre as verbas publicitárias para veículos de comunicação da família etc. Isso só veio à tona nos últimos anos — e mesmo assim com uma imprensa de Rio e SP jogando a favor.

Aécio termina 2014 como um nome nacional, com um capital eleitoral forte num país dividido, recordista de votos no PSDB, mas derrotado. Terá pela frente dois concorrentes com sangue nos olhos: José Serra e Geraldo Alckmin, ambos de São Paulo.

Os dois estavam com Aécio em seu discurso pós derrota. Claramente ressentido, Aécio não dirigiu palavra à mineirada.

“Eu deixo essa campanha ao final com o sentimento de que cumprimos o nosso papel. São Paulo retrata de forma mais clara o sentimento que tenho no meu coração pelo cumprimento da minha missão: combati o bom combate, cumpri minha missão e guardei a fé”, disse, citando São Paulo numa das cartas a Timóteo.

Minas livrou o Brasil de seu filho.

Política

O município de Lagoa Grande do Maranhão mostrou a sua força para a reeleição da presidente Dilma Rousseff.

votação

O eleitorado de Lagoa Grande ajudou a reeleger a atual presidente Dilma Rousseff (PT), e ainda por cima deu uma lavada de 3,922 votos, uma votação surpreendente, Dilma obteve 4,872 votos, 83,68% dos votos validos, enquanto seu adversário Aécio Neves (PMDB) obteve 950 votos, 16,32% dos votos validos, uma diferença em porcentagem de 67,36%.

O numero de eleitores que compareceu as urnas foi de 5,984, 73,13% do eleitorado do município que é 8,183, 100%, e teve um numero de 2,199, 26,87% de abstenções, total de votos em branco somam 38 votos, 0,64%, votos nulos 124, 2,07% dos votos, votos validos foram 5,822, 97,29%.

O resultado do 2º turno em Lagoa Grande foi bem melhor que o 1º turno, Dilma cresceu o numero de eleitores, confira:

1º Turno: 4,650 votos, 82,70%.

2º Turno: 4,872 votos, 83,68%.

O aumento foi de 222 votos, e mostrou que Lagoa Grande abraçou o trabalho de Dilma e deu a resposta nas urnas digitando o 13.

Geral

Dilma é reeleita presidente do Brasil

dilma reeleita 2

Dilma é reeleita presidente e amplia para 16 anos ciclo do PT no poder

Com 99,9% das urnas apuradas ela tinha 51,6% dos votos e Aécio, 48,3%.

Governo do PT (2003-2018) terá o dobro do período tucano (1999-2002).

Dilma Rousseff (PT) venceu Aécio Neves (PSDB) na disputa em segundo turno e foi reeleita neste domingo (26) para um novo mandato como presidente da República (2015-2018). Segundo o sistema de apuração do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o resultado foi confirmado às 20h27min53, quando 98% das urnas estavam apuradas e não havia mais possibilidade matemática de virada. Acompanhe a apuração em tempo real.

dilma eleita

 

Até a última atualização desta reportagem, com 99,99% das urnas apuradas, a petista tinha 54.497.615 votos (51,64%) e o tucano, 51.038.023 votos (48,36%).

Uma hora depois da confirmação do resultado, Dilma fez um discurso de agradecimento, com 26 minutos de duração, em um hotel de Brasília. Saudou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a quem chamou de “militante número 1 das causas do Brasil”, afirmou que está “disposta ao diálogo” e conclamou os brasileiros a se unirem em favor do país. “Não acredito que estas eleições tenham dividido o país ao meio”, afirmou. “O calor da disputa pode agora ser transformado em energia construtiva de um novo momento no Brasil”, declarou. A presidente disse que priorizará a discussão com o Congresso e com a sociedade de uma reforma política a ser aprovada por meio de plebiscito.

Aécio Neves fez um pronunciamento em Belo Horizonte cerca de 40 minutos depois de confirmado o resultado. Disse ter cumprimentado Dilma pela vitória e afirmou que agora a prioridade é unir o Brasil. “Considero que a maior de todas as prioridades é unir o Brasil em torno de um projeto honrado e que dignifique todos os companheiros”, afirmou, em uma fala de cerca de dois minutos.

Com a vitória, Dilma completará um período de 16 anos do PT no comando do governo federal, desde a primeira eleição de Luiz Inácio Lula da Silva, em 2002. É o dobro do tempo do PSDB, que teve dois mandatos com Fernando Henrique Cardoso (1995-1998 e 1999-2002). Desde antes da reeleição de Dilma, o PT trabalha com a hipótese de uma nova candidatura de Lula em 2018, conforme voltou a defender neste domingo o presidente do partido, Rui Falcão.

A presidente se reelegeu na disputa considerada a mais acirrada desde a redemocratização. No início da campanha, a petista manteve-se na dianteira nas pesquisas de intenção de voto, mas depois chegou a ter a liderança ameaçada por Marina Silva (PSB), derrotada no primeiro turno, e Aécio, que chegou a aparecer numericamente à frente dela no segundo turno.

Foi também a sexta eleição marcada pela polarização entre PSDB e PT, que desde 1994 sempre chegaram nas duas primeiras posições na corrida presidencial. Assim como em 2010, a candidatura de Marina despontou neste ano como terceira força, alcançando 21,3% dos votos no primeiro turno.

Campanha

Tanto no primeiro quanto no segundo turno, a campanha eleitoral para a Presidência neste ano foi marcada pelas críticas entre os candidatos. Se na primeira fase da disputa, os ataques do PT se concentraram em Marina – apontada como inconsistente – na segunda, a campanha petista mirou a candidatura de Aécio, associando-a ao “retrocesso”.

Marina passou a ser alvo tanto do PT quanto do PSDB com sua rápida ascensão nas pesquisas após a morte de Eduardo Campos, candidato do PSB até agosto, quando morreu em acidente aéreo que vitimou outras seis pessoas, entre assessores e tripulantes.

Até então, as pesquisas indicavam uma situação de estabilidade, com Dilma à frente e Aécio em segundo. O tucano já havia enfrentado denúncias de suposta concessão irregular para um tio de um aeroporto na cidade de Cláudio (MG), mas a candidatura dele começou a perder fôlego após a morte de Campos.

Uma das principais críticas do PT a Marina Silva foi a defesa da independência do Banco Central, que propunha mandatos fixos para diretores condicionado ao combate à inflação. Nas propagandas e discursos, a campanha petista dizia que a medida favoreceria os banqueiros; na TV, foi mostrada uma família sem comida no prato. Marina respondia dizendo que a rival tentava “ressuscitar o medo” na campanha e fazia “terrorismo eleitoral”.

Pelo lado do PSDB, Marina era atacada por ter sido filiada ao PT, inclusive nos períodos em que o partido enfrentava escândalos de corrupção, como o mensalão. A candidatura de Marina também foi posta em xeque após mudanças em seu programa de governo. Quando o programa foi lançado, em 29 de agosto, havia defesa do casamento gay e da energia nuclear. No dia seguinte, os tópicos foram retirados, sob alegação de erro na edição do documento.

Marina foi perdendo pontos nas intenções de voto e acabou ultrapassada por Aécio na semana que antecedeu o primeiro turno. Nas urnas, Dilma obteve 41,6% dos votos válidos e Aécio 33,5%, resultado que levou a disputa para o segundo turno.

Nas três semanas de disputa direta entre a petista e o tucano, as críticas se concentraram na corrupção e na economia. Aécio explorou o escândalo na Petrobras, responsabilizando o governo pelos supostos desvios e propina pagos a políticos pelo ex-diretor Paulo Roberto Costa. Dilma reagiu dizendo que a oposição tentava dar um golpe ao explorar o caso. Defendeu-se ainda afirmando que a PF teve autonomia para investigar, e os casos de corrupção não eram escondidos “debaixo do tapete”.

No campo da economia, a petista insistiu que o retorno do PSDB ao poder seria uma “volta ao passado”, segundo ela, com arrocho salarial, desemprego e queda na renda dos trabalhadores. O tucano, por sua vez, enfatizou a alta da inflação no governo Dilma aliado ao baixo crescimento da economia; como solução, pregou mais credibilidade e transparência nas contas públicas para atrair de volta o investimento produtivo ao país.

Nas duas últimas semanas da campanha, os ataques se intensificaram nas propagandas, debates na TV e atos de campanha pelas ruas do país. Além de criticar a política econômica do PSDB, Dilma passou a dizer que os tucanos não governavam para os pobres, apontando uma menor abrangência dos programas sociais na época de FHC. O discurso foi reforçado por Lula, que participou ativamente da campanha e chamou Aécio de “filhinho de papai”, o acusou de ser agressivo com mulheres e o condenou por recusar o teste do bafômetro numa blitz em 2012.

Além da Petrobras, Aécio acusou o PT de promover uma divisão no país, entre ricos e pobres e Sudeste-Sul contra Norte-Nordeste. O tucano recebeu apoio de Marina Silva e outros candidatos derrotados na eleição e passou a se queixar da “campanha de desconstrução”, segundo ele, feita pelo PT. Num dos debates mais tensos da TV, Aécio ainda rebateu a acusação de ter empregado a irmã no governo de Minas ao dizer que um irmão de Dilma também havia sido nomeado pela Prefeitura de Belo Horizonte durante administração do PT.

Dilma acena para militantes em hotel de Brasília onde fez o discurso da vitória (Foto: Ueslei Marcelino/Reuters)

Do G1, em Brasília

Fotos TSE

 

Geral

Em voto no 2º turno, Flávio Dino defende Reforma Política

img-20141026-wa001269830

Durante votação no 2º turno na manhã deste domingo (26), o governador eleito Flávio Dino defendeu a Reforma Política Democrática para o país. “Espero que esta seja a última eleição que se processou segundo as regras vigentes”, argumentou ele.

Para Flávio Dino, esta pauta vai garantir a extinção do financiamento empresarial para candidatos e partidos, assegurando um avanço na democracia. Ele reforçou ainda a importância das eleições e ressaltou as lutas pelo fortalecimento da democracia do país ao longo de 30 anos desde a redemocratização.

“Sou de uma geração que lutou pelas eleições diretas para presidente e por isso este é sempre um momento de grande emoção”. E, completou, falando do momento atual, “acho que a pauta do primeiro semestre de 2015 no país deve ser a reforma política que ajude a aprofundar ainda mais a democracia no Brasil”.

Dino parabenizou os presidenciáveis, Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB), afirmando que adotou a postura de neutralidade em todo o período eleitoral, mas que seu voto pessoal segue a linha partidária definida pelo PCdoB.

“Adotei uma postura de respeito à coligação plural, ampla e democrática que nós fizemos no Maranhão. Sou uma pessoa de compromisso e é claro que me mantenho fiel, por isso não participei da campanha eleitoral. Agora, obviamente, eu integro um partido político, que tem uma posição política e é natural que eu siga a posição do meu partido”.

Fortalecimento da democracia
Flávio Dino encampa a defesa da Reforma Política desde 2007, quando ainda exercia mandato na Câmara Federal. A Proposta de Emenda à Constituição (PEC 193/07) foi defendida por ele para realização de plebiscito para a autorização da revisão constitucional, quando seriam discutidas exclusivamente as reformas política e tributária.

 

Política

Eleições- O Blog disponibiliza site para acompanhar as apurações online

Sem título

 

O Blog do Fernando Ramos em parceria com o site UOL, disponibiliza site para os eleitores acompanhar todos os resultados da eleição do 2º turno online.

Click no link e acompanhe: http://placar.eleicoes.uol.com.br/2014/2turno/

Política

TRE-MA- Confira todos os serviços disponíveis para os eleitores nesse 2º turno

tre

Local de votação: consulte por nome ou por título.

Situação eleitoral: consulte por nome ou por título.

Justificativa eleitoral: caso esteja fora de seu domicílio eleitoral no dia da eleição, preencha o Requerimento de Justificativa Eleitoral e o entregue em  um dos locais destinados ao recebimento do RJE. Para justificar, é necessário apresentar um documento oficial com foto e o número do título eleitoral.
Se não apresentar a justificativa no dia da eleição, o eleitor tem até 60 dias após cada turno da votação para providenciá-la.
Para mais informações, acesse a página de justificativa eleitoral ou procure o TRE do seu estado.

Estatísticas: Informações e dados estatísticos sobre as eleições 2014.

Urna Eletrônica: correspondências esperadas para o 2º turno.

Resultados das eleições: a partir das 17h, será possível acompanhar os resultados das eleições através da páginaweb (que não necessita de instalação de software) ou através do download do software de acompanhamento de divulgação de resultados.

Denúncias: para denunciar irregularidades nas eleições dirija-se ao Ministério Público Eleitoral, aos cartórios eleitorais ou às ouvidorias dos tribunais regionais eleitorais.

Veja também

– Os candidatos que concorrem às eleições de 2014.

– O Disque-eleitor é um canal de comunicação criado para esclarecer dúvidas relacionadas às eleições.

– As últimas notícias sobre as eleições no portal da Justiça Eleitoral.

– Os diários da Justiça eletrônicos.

 

Política

Dilma vota no Sul e avalia campanha eleitoral

BBbhysU

 

PORTO ALEGRE – A caminho do local de votação neste domingo, 26, em Porto Alegre, a presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição, fez novo apelo para que as pessoas votem e avaliou a campanha presidencial. A petista reconheceu ter havido momentos em que o “nível não foi tão alto”, mas negou que essa campanha tenha sido excessivamente agressiva. A presidente chegou a sua zona de votação às 8h40 e ficou sete minutos na sua seção eleitoral, em uma escola na zonal sul da capital gaúcha.

Como a sala é pequena para acolher todos os jornalistas que estão no local, somente os fotógrafos foram autorizados a entrar. Dilma já tinha conversado com os repórteres no hotel em que tomou o café da manhã e não voltou a se manifestar na escola.

“Eu acho que essa foi uma campanha diferente, cheia de momentos de mudança e reviravoltas. Alguns momentos o nível não foi alto, mas não foi o que prevaleceu”, afirmou pouco antes de votar. “Teve momentos com formas de tratamento lamentáveis, mas acredito que isso foi rejeitado pela população”, afirmou a presidente em referência indireta ao adversário Aécio Neves, que em um dos debates usou o termo “leviana” ao rebater ataques da petista.

Dilma repetiu o apelo feito nesse sábado, 25, para que as pessoas votem hoje com segurança. “Chegamos ao final dessa campanha com dois projetos. Um que eu acredito que vai fazer com que o Brasil continue mudando. Nós desse projeto que lutamos tanto para melhorar a vida da população não vamos permitir que nada desse mundo tire de você onde você conquistou” , afirmou a presidente.

Quase sem voz, Dilma respondeu apenas uma pergunta antes de tomar um café da manhã com o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, candidato à reeleição, e vários petistas, uma tradição eleitoral do partido no Estado. A presidente volta para Brasília ainda nesta manhã, onde vai acompanhar a apuração dos votos.

Acompanhada de Tarso Genro, Dilma votou rapidamente e aguardou o governador votar. No local, posou para fotos fazendo positivo e tomou chimarrão.

Rogério Leal, fiscal do PMDB – que no Rio Grande do Sul é opositor do PT -, foi quem ofereceu o chimarrão à presidente, a pedido dos fotógrafos. “Eu só pedi que ela terminasse tudo, não me deixasse com meia cuia. Ela terminou”, conta. Uma das regras do chimarrão é quem pega a vez deve tomar toda a cuia e só então passar adiante.

Cerca de 60 pessoas esperavam Dilma na escola onde vota. Vários tentaram entrar na zona eleitoral, mas até mesmo Olívio Dutra, ex-ministro e um dos principais nomes do PT gaúcho, foi barrado. /Colaborou Elder Ogliari

 

Política

Lagoa Grande- Movimentação tranquila em todas as sessões

20141026_090455

Lagoa Grande- Escola Eliézer com pouca movimentação: (Foto Reprodução: Fernando Ramos)

Em Lagoa Grande do Maranhão a movimentação nos prédios que estão localizadas as urnas de votação estão calmas, poucas pessoas ate agora estão chegando aos locais de votação.

Na votação do 1º turno, tivemos uma abstenção de mais de 2 mil votos nesse município, e a movimentação estava bem maior, e pelo visto essa abstenção vai ficar ainda maior com o numero de eleitores que compareceu ate agora as urnas. Os eleitores têm ate às 17 horas para votar, e deve comparecer a sua sessão munido de seus documentos, e não deve esquecer o documento com foto.

Confira imagens dos outros locais de votação em Lagoa Grande:

20141026_090837

Escola José nozinho

20141026_090959

Escola José Nozinho

20141026_093042

Creche Vovó Vitorina

Geral

Lagoa Grande- Confira os flashes que o Blog fez do niver da Andyara Cristina

P1010445

Andyara ao lado de seus pais: ( Foto Reprodução: Fernando Ramos)

Na ultima quinta-feira (23.10) a jovem Andyara Cristynna completou seus 14 aninhos com uma bela festa.

Andyara é evangélica da igreja assembleia de Deus, filha da professora Antonia Borges e do senhor Nelson, menina exemplo e muita querida por sua família e amigos, e para comemorar esse dia especial, a família resolveu realizar uma surpresa de aniversario, a mesma foi realizada no templo sede da assembleia de Deus, e contou com a presença de familiares e amigos.

Sem reação ao ver a surpresa, Andyara se emocionou e agradeceu aos familiares e amigos “ Só quero agradecer a todos pela surpresa maravilhosa e em especial a meus pais”- Falou Andyara.

Emoção por parte de sua mãe “A Adyara é um presente de Deus na minha vida, só eu sei o quanto ela me faz feliz, por que além de filha ela é minha amiga e companheira”- explicou Antonia Borges.

Parabéns e que Deus continue abençoando cada dia mais, FELICIDADES!!

Confira os Flashes:

P1010437 P1010438 P1010439 P1010440 P1010441 P1010442 P1010443 P1010444

(mais…)

Cidades

Lagoa Grande- Policia Militar está realizando blitz em vários pontos na cidade

20141025_084727

Policia Militar realizando Blitz em Lagoa Grande: (Foto Reprodução: Fernando Ramos)

A policia militar sobre o comando do novo delegado de Lagoa Grande do Maranhão Sargento Novais, está realizando diversas blitz na cidade, o objetivo e a apreensão de motos roubadas, armas e drogas.

Esse tipo de trabalho é bem visto pela população Lagoagrandense, pois recentemente aconteceram vários assaltos de motocicletas e carros, além de bancos e correios, e por Lagoa Grande ficar no centro do maranhão e ligar a varias cidades, a fuga de vários assaltantes e outros criminosos é comum, e com as blitz a inibição dessas praticas são reduzidas.

O sargento Novais falou ao Blog que é comum realizar essas abordagens em busca de matérias ilícitos, e dessa forma estará ajudando e protegendo os cidadãos de praticas comuns nas pequenas cidades.

Varias pessoas com motos e carros foram abordados, mais nenhuma arma ou droga foi localizada, apenas algumas motos apreendidas por irregularidades, mas que serão liberadas com a apresentação dos documentos.